Famurs reconhece agilidade do governo federal para repor saída de médicos cubanos

20/11/2018 18:56
A publicação do edital que abre 8,5 mil vagas do programa Mais Médicos em todo país foi recebida com alívio pelos prefeitos gaúchos. De acordo com o presidente da Famurs e prefeito de Garibalbi, Antonio Cettolin, o anúncio feito pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, durante Mobilização Municipalista em Brasília, nesta segunda-feira (19/11), demostra que o Governo Federal está atento em não deixar os municípios desassistidos. “A agilidade em tomar providências para repor esses profissionais tranquiliza os gestores. Estamos trabalhando para que a população não seja afetada”, afirma. No RS, 1.201 profissionais atuam no programa, sendo que 599 são cubanos. Os dados são do Ministério da Saúde.

O edital publicado, nesta terça-feira (20/11), disponibilizou 630 postos de trabalho no Rio Grande do Sul para médicos brasileiros e estrangeiros que tenham registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). As inscrições devem ser feitas entre os dias 21 e 25 de novembro através do site do programa Mais Médicos. Caso as vagas não sejam preenchidas, um novo edital será lançado na próxima semana para médicos brasileiros e estrangeiros sem registro no CRM e que também não tenham sido aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Ensino Superior Estrangeira (Revalida). A previsão é de que as atividades comecem até o dia 7 de dezembro. Os contratos terão duração de 36 meses, com a possibilidade de renovação.

Na última quarta-feira (14/11), o Governo Cubano anunciou a saída do programa Mais Médicos. Com isso, cerca de 8 mil profissionais devem retornar ao seu país de origem. A decisão foi tomada após questionamentos feitos pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre as condições do programa implementado em 2013.