Famurs realiza reunião com Secretaria de Saúde para debater soluções para falta de medicamentos nas UTIs

Preocupada com a falta de medicamentos que compõe o kit entubação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atendimento de pacientes com Covid-19, a Famurs realizou uma reunião, na tarde desta quarta-feira (2/7), com a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Na ocasião, o vice-presidente da Famurs e presidente eleito, Maneco Hassen, solicitou uma atualização a respeito de soluções para contornar o aumento da demanda dos medicamentos e elevação dos preços que estão sendo praticados no mercado farmacêutico.

De acordo com a secretaria Arita Begman, o governo do estado está em contato direto com Congresso Nacional de Saúde (Conas) e com o e Ministério da Saúde (MS) para tratar sobre o tema. Uma das ações é que a Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB) conseguiu reunir alguns hospitais, previamente cadastrados, para fazer compras com o Laboratório Cristália.

Conforme Arita, o MS também adotou três medidas para reverter a situação da falta de medicamentos. A primeira delas, já em andamento, é fazer uma requisição administrativa com laboratórios que tenham sede no Brasil, para verificar a disponibilidade de medicamentos.

A segunda estratégia é realizar uma ata de registros de preços, que será disponibilizada para estados e capitais aderirem. Contudo, a secretária entende e sugere que o MS compre o primeiro lote de medicamentos da ata para distribuir para a rede hospitalar, por questões financeiras e jurídicas.

A terceira estratégia do Ministério, de acordo com a secretária, é a compra internacional através da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), pois alguns países têm saldo de medicamentos.

A SES também solicitou ao Conselho Regional de Farmácia (CRF/RS) que, durante as vistorias nas distribuidoras e laboratórios, verificassem se tem estoque disponível dos medicamentos em falta nos hospitais. Além disso, a Secretaria está finalizando uma planilha que dará um cenário da situação de medicamentos de cada hospital do RS. Sabendo o tempo de estoque de cada hospital, será possível pensar em alternativas conjuntas para colocar as instituições em contato e fazer um remanejamento de estoques maiores.

Outra ação da SES, foi elaborar uma lista de sedativos e bloqueadores neuromusculares que podem ser utilizados como alternativa aos procedimentos padrões. O documento com sugestões de medicamentos será repassado diretamente para os hospitais e coordenadorias.

Testes

A secretária de saúde aproveitou a ocasião para convidar a Famurs a fazer parte do Projeto Todas Pela Saúde, que visam ampliar o número de testes RT-PCR.  Segundo Arita, com o projeto será possível viabilizar 3 mil testes por dia, além dos que já são realizados pelo Lacen, UFRGS e demais laboratórios conveniados. A ideia é pensar com a Famurs uma logística de recolhimento das amostras de testes realizados pelos municípios.

O presidente da Famurs, Dudu Freire, informou que na próxima semana será realizada uma reunião para abordar e valorizar as campanhas de testes que estão sendo realizadas no RS. “Nós somos parceiros nessa campanha liderada pelo governo do estado e no pudermos ampliá-la, também queremos ser instrumento para isso, principalmente através das universidades, que tem capacidade de fazer a análise dos testes RT-PCR”, afirmou.

Saiba mais

O kit entubação é essencial para os tratamentos aplicados nas UTIs e destinadas aos pacientes afetados pela Covid-19. A falta de tais medicamentos afeta a eficiência dos tratamentos aplicados contra a doença. Nos últimos três meses, a demanda dos medicamentos que compõe o kit entubação equivale a todo o ano de 2019.

A Famurs e a Federação das Santas Casas Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Filantrópicos e Religiosos do Rio Grande do Sul, manifestam, conjuntamente em nota, a preocupação com falta dos medicamentos em diversos hospitais gaúchos, afetando a saúde e ameaçando a vida dos pacientes.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!