Famurs adere à campanha Outubro Rosa

O prédio sede da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, no coração do bairro Menino Deus, em Porto Alegre, está iluminado na cor rosa desde ontem (1/10). Com isso, a Famurs adere à campanha mundial Outubro Rosa, pela conscientização no combate ao câncer de mama.

A Coordenadoria de Gênero da Famurs promoveu uma ação, entregando para todos os funcionários bottons para roupa ou “piercing” para bomba de chimarrão com o laço cor de rosa, o símbolo mundial oficial contra a doença. O objetivo é chamar a atenção para a prevenção, o autoexame e o diagnóstico.

O mês de outubro é considerado mês de combate à doença, para o compartilhamento de informações sobre o câncer de mama, conscientização, divulgação de serviços de tratamento e diagnóstico para contribuir para a redução da mortalidade. A mobilização surgiu na Califórnia (EUA) em 1997 e se difundiu em todo o mundo.

Câncer de mama no RS

O câncer de mama é o tipo de tumor mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos novos casos de câncer no país a cada ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Só no Rio Grande do Sul, 5.210 novos casos da doença serão registrados até o fim deste ano, de acordo com estimativas do instituto. Porto Alegre é a capital brasileira com maior incidência do problema, com 147 pessoas atingidas a cada 100 mil. A doença tem cura, desde que detectada precocemente.

Como está a fila de espera do SUS

Atualmente, a Prefeitura de Porto Alegre oferece 1.968 solicitações de mamografias pelo SUS. A fila de espera é de 4.605 pessoas. A solicitação mais antiga foi realizada no dia 14 de agosto. Mas a ordem de atendimento não é necessariamente a de chegada. A preferência costuma ser dada a pacientes que demandam o exame com mais urgência – conforme diagnóstico prévio, que precisa ser feito por um médico.

A importância do exame precoce

O exame precoce ajuda na identificação da doença que, se descoberta previamente, tem 95% de chance de cura. O SUS preconiza que a mamografia seja feita a partir dos 50 anos até os 69 anos, de dois em dois anos. Já a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), a Sociedade Brasileira de Radiologia e a Febrasgo recomendam que o exame inicie a partir dos 40 anos e seja feito anualmente. No Rio Grande do Sul, apenas 27% das mulheres nessa faixa etária fizeram o exame

Novas tecnologias para o diagnóstico

Os testes genéticos, que procuram essas mutações, só são feitos quando a paciente preenche 20% dos quesitos de risco. Dessas, apenas 25% têm resultado positivo no teste, que são os casos tratados como câncer de fato.

Causas do câncer de mama

Entre os motivos que podem aumentar a probabilidade da doença estão obesidade, tabagismo, uso abusivo de álcool e histórico familiar. O câncer de mama ocorre por causa do desenvolvimento anormal de células, que se multiplicam repetidamente até formar um tumor maligno.

Mamógrafos espalhados pelo Estado

Hoje, são 330 mamógrafos cadastrados no Rio Grande do Sul para atender 497 cidades. Os aparelhos estão concentrados nos grandes centros urbanos.

Com informações do IMAMA Instituto da Mama do Rio Grande do Sul

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!