Acesso Rápido:
Artigo 16/12/2013 Emater-Ascar: o apoio que não pode faltar Por Mário Ribas do Nascimento

A agricultura familiar do Rio Grande do Sul é uma referência nacional. Esse desempenho se deve especialmente à vocação e ao esforço dos pequenos produtores gaúchos, que são verdadeira fonte de inspiração para o país. Ao lado dessas virtudes, conta também o histórico papel desempenhado pela Emater-Ascar, que presta serviços de extensão rural e assistência técnica. É uma conjugação que sustenta grande parte da nossa geração de riqueza.

A entidade oferece programas de treinamento, capacitação e educação desde 1955. São mais de 250 mil famílias atendidas, atingindo 493 das 497 cidades do RS. Os resultados são perceptíveis para toda a sociedade: não apenas os indicadores econômicos do campo progridem, mas também os sociais. Melhoram a autoestima e a qualidade de vida da população.

Com o peso de uma caneta, no entanto, toda essa trajetória de sucesso está posta em risco. Ocorre que uma recente decisão da Justiça cassou a liminar que garantia a condição filantrópica da instituição. Caso perca essa denominação, restará à entidade pagar uma dívida, referente à contribuição previdenciária, que totaliza R$ 2 bilhões. Uma injusta dívida! Para efeitos de comparação: seu patrimônio é de aproximadamente R$ 30 milhões, ao passo que o orçamento anual não passa de R$ 240 milhões.

 Essa conta, como o leitor pode claramente perceber, não tem como fechar. E, dessa forma, a Emater-Ascar terá de encerrar suas atividades. Isso seria desastroso para a população rural. Nada menos que 50 mil projetos em andamento acabariam de uma hora para outra. Os pequenos produtores ficarão desassistidos, e o trabalho de inclusão social será interrompido. Se o que essa organização faz não é filantropia, então praticamente nada mais pode ser enquadrado como tal.

Das mãos calejadas dos pequenos produtores, depende a sustentação de boa parte dos municípios. Criam empregos, renda e desenvolvimento social para o campo, o que repercute nas cidades. Colocam alimento na mesa. Geram arrecadação, o que garante saúde, segurança, educação. O fim da Emater-Ascar seria um retrocesso para a economia e a sociedade gaúcha. E isso não pode acontecer.

*Superintendente Técnico e de Relações Institucionais da Famurs, e ex-presidente da Emater-Ascar

 

Assessoria de Comunicação Social
(51) 3230.3150 / 9330.8399
comunicacao.famurs@gmail.com

FAMURS - Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul
Rua Marcílio Dias, 574 - Menino Deus - Porto Alegre/RS - CEP: 90130-000 - (51) 3230-3100
Copyright © 2014 Famurs - Todos os Direitos Reservados.